fbpx
(31) 3295-3425 (31) 99449-7090

O Setembro Amarelo é uma campanha de conscientização sobre a prevenção do suicídio, que foi criada no Brasil, em 2015, pelo Centro de Valorização da Vida (CVV), Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).  Em 2003 a Associação Internacional para a Prevenção do Suicídio e a Organização Mundial de Saúde definiu o dia 10 de setembro como o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio. Neste dia, realizam-se cerca de 600 atividades em 70 países do mundo para salvar vidas.

Por que a cor amarela?

Em 1994, Mike Emme, um rapaz de 17 anos que morava na cidade de Westminster no estado do Colorado, Estados Unidos, suicidou-se dentro de seu carro, um Mustang amarelo. O Mustang amarelo era a paixão de Mike que tinha recentemente acabado de reformá-lo e pintá-lo de amarelo.

O suicídio aconteceu porque ele não soube pedir ajuda. Ele deixou um recado pedindo para que seus pais não se culpassem pelo o que ela havia feito, e quando encontraram o bilhete, infelizmente já era tarde. Depois de sua morte foi descoberto que Mike tinha sinais de depressão e não estava sabendo lidar com o término de um namoro.

 Conversando com os jovens da vizinhança e com amigos, os pais de Mike viram que a tragédia de seu filho não precisava ser em vão. Eles então, tiveram a ideia de criar “lembranças” de Mike – objetos simples que fossem carregados com a memória do filho, e que de alguma forma pudessem ajudar jovens na mesma situação a escaparem de um fim precoce e triste como o dele.

Fita amarela, símbolo do setembro azul

Foi aí então que surgiu a ideia das fitas amarelas (“yellow ribbon”), como o Mustang de Mike. Cada uma delas presa a um cartão, que trazia uma mensagem: “se você está pensando em suicídio, entregue este cartão a alguém e peça ajuda!” A ideia era ajudar jovens que estavam sob risco de se suicidarem a buscar ajuda.

Os pais e amigos de Mike confeccionaram 500 cartões com fitas amarelas e, durante seu funeral, colocaram todos em um cesto. No fim da cerimônia, todos os cartões haviam sido levados por alguém e começaram a se espalhar pelo país.

Desde então tiveram início várias campanhas de prevenção pelo mundo inteiro e a cor amarela é usada para homenagear aquele rapaz que não pode viver para apreciar o seu amado Mustang amarelo.

Por que precisamos apoiar o Setembro Amarelo?

​ Todos os anos são registrados no Brasil cerca de 12 mil suicídios, no mundo acontecem mais de 1 milhão de suicídios anualmente.  É uma realidade muito triste e que se torna cada vez mais presente entre nós, os casos de suicídio estão em constante crescimento, principalmente entre os jovens. Em torno de 96,8% dos casos de suicídio estavam relacionados a transtornos mentais. Em primeiro lugar está a depressão, seguida do transtorno bipolar e abuso de substâncias. Todos dias no Brasil, trinta e duas pessoas suicidam, é uma média de uma morte a cada quarenta e cinco minutos.

Segundo o porta voz do CVV, Carlos Correia, esses números podem ser reduzidos. Para isso precisamos levar para as pessoas as condições de perceber “que a pressão interna está muito elevada, que o copo está prestes a transbordar e, que nesse momento ou antes disso, pedir e aceitar ajuda é muito eficiente. Conversar com alguém, seja conhecido ou desconhecido, de forma acolhedora e sem críticas já ajudaria essa pessoa a superar aquele momento.”

Quanto mais falarmos abertamente do suicídio e suas causas, mais depressa podemos enfraquecer esse tabu que muitas pessoas ainda carregam. Quanto mais apoiarmos campanhas como o Setembro Amarelo, mais podemos levar informação e conscientização para a nossa sociedade e sinalizar para aqueles que estão desesperados e presos nos seus sofrimentos que existe esperança, que existe pessoas que podem ajudá-los.

Alguns mitos sobre o suicídio

Segundo o psicólogo Yuri Busin, existem alguns mitos que precisam ser contestados:

  • As pessoas que ameaçam se matar, estão apenas querendo chamar a atenção”.

Falso, pois a pessoa pode sim estar passando por um período difícil de sua vida e estar solicitando ajuda. Toda e qualquer ameaça de suicídio deve ser levada a sério.

  • O suicídio acontece sem aviso”.

Falso. Apesar de muitos pensarem ser um ato impulsivo, isso nem sempre é verdade. Muitas pessoas pensam em suicídio constantemente. Além disso, muitos suicidas comunicam seu sofrimento diariamente a outras pessoas.

  • O suicídio só acontece com os outros.

Falso. O suicídio pode ocorrer com quaisquer pessoas que estejam em um alto grau de sofrimento. Aqui vale lembrar que o sofrimento independe de dinheiro, classe social etc.

  • Uma pessoa que tentou cometer suicídio uma vez, não voltará a tentar.

Falso. Na verdade, as tentativas de suicídio são um indicador de que o suicídio pode realmente ocorrer.

Como falar com um amigo que está passando por uma fase difícil?

O Hospital Santa Mônica, da cidade de São Paulo, dá algumas dicas:

Às vezes, as discussões sobre saúde mental podem ser meio complicadas. Experimente uma destas linhas de abertura para iniciar a conversa.

“Talvez seja impressão errada, mas estava me perguntando se você está bem?”

“Eu percebi que você está um pouco para baixo ultimamente. O que está acontecendo?”

“Ei, não conversamos há algum tempo. Como você está?”

“Parece que você não tem sido você mesmo ultimamente. E aí algum problema?”

“Você está bem? Você não parece você mesmo ultimamente.”

“Eu sei que você está passando por algumas coisas. Estou e estarei aqui por você sempre que precisar.”

“Não importa o que você esteja passando, estou ao seu lado no que você precisar, ok?”

“Ei, há algo que você queira conversar?”

“Isso é estranho, mas eu gostaria de saber se você está realmente bem.”

“Eu não ouço você rir há algum tempo, está tudo bem?”

“Estou preocupado com você e gostaria de saber o que está acontecendo, posso ajudar em alguma coisa?”

“Ei, você parecia frustrado hoje. Estou aqui por você. Quer bater um papo?”

“Eu sinto que algo está acontecendo. Você quer compartilhar alguma coisa comigo?”

“Ei, onde você esteve? Senti sua falta no treino.”

“Seu rosto está me dizendo que você precisa de uma boa conversa.”

“Você sabe que pode me dizer qualquer coisa. Eu não vou te julgar, estou aqui para ajudar!”

“Parece que algo está acontecendo. Quer conversar a respeito?”

“Escute, você é meu amigo e eu só quero saber como você está se sentindo.”

“Quando você estiver pronto para falar, saiba que estou pronto para ouvir.”

“Eu sei que a vida pode ser opressora às vezes. Então, se você precisar conversar, estou aqui.”

Onde buscar ajuda para prevenir o suicídio?

CAPS e Unidades Básicas de Saúde (Saúde da família, Postos e Centros de Saúde).

UPA 24H, SAMU 192, Pronto Socorro; Hospitais

Centro de Valorização da Vida – 188 (ligação gratuita)

O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo, por telefone, e-mail, chat e voip 24 horas todos os dias.

A ligação para o CVV em parceria com o SUS, por meio do número 188, são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular.

Sobre o autor

Especialista em Psicologia Organizacional e do Trabalho e em Psicologia Clínica, além de diversas formações em Estratégia de Negócios e Coaching. Larga experiência como Psicólogo Organizacional, professor universitário, palestrante e consultor de empresas.

Deixe um Comentário

%d blogueiros gostam disto: