fbpx
(31) 3295-3425 (31) 99449-7090

Motivador, estrategista, estudioso, paizão, disciplinador, professor. São muitos os adjetivos usados para nomear os técnicos de futebol e os seus estilos de liderança. Embora não entrem em campo e não sejam os craques dos times, os treinadores ajudam a decidir os jogos com os treinos, planos táticos, escolha dos jogadores, substituições e gestão do grupo. Por isso, servem de exemplo para as empresas e contribuem com importantes lições de liderança no futebol.

Futebol para a gestão de empresas

Os treinadores são verdadeiros gestores de negócios. Definem os objetivos a serem atingidos pela equipe, e traçam o planejamento e as ações para chegar lá. Também precisam gerenciar os talentos para garantir um time com as qualidades necessárias para conseguir um bom desempenho. Inclusive, na Europa, são chamados de managers, do inglês ‘gerentes’. Até por serem responsáveis pelas negociações e contratações do clube.

A seguir, vamos mostrar oito pontos em que os técnicos podem transmitir lições de liderança no futebol e inspirar a sua gestão:

1. Gerenciamento de pessoas em prol dos resultados

Para o seu time conquistar as vitórias e os títulos, é necessário contar com jogadores talentosos e um grupo unido. Um bom técnico precisa, antes de tudo, analisar os pontos fracos e fortes da equipe para sair em busca das contratações necessárias para fortalecer o grupo. Em um segundo momento, é importante conhecer o time que tem em mãos e saber o potencial dos seus jogadores para motivá-los, desenvolver suas habilidades e extrair o melhor deles.

Da mesma forma acontece nos negócios, já que os gestores têm que guiar as pessoas por meio da avaliação de desempenho e de indicadores de produtividade para conseguir melhorar os resultados da empresa. Além disso, também precisam contratar os colaboradores com as habilidades necessárias para realizar as funções determinadas na sua estrutura organizacional.

2. Como lidar com egos e conflitos

É natural o treinador precisar ser um bom gestor de vestiário como se diz na linguagem do futebol. São jogadores badalados, renomados, com bons salários, o que acaba gerando disputas pessoais e conflitos de egos. Os maiores técnicos da última década, o espanhol Pep Guardiola e o português José Mourinho, concordam nesse tema. Para Guardiola, “o ego é a fonte da maioria dos problemas de uma equipe” e Mourinho complementa: “minha maior preocupação é o time.”

Uma das lições de liderança no futebol é sobre lidar com essas questões. No seu negócio, também será necessário administrar divergências e conflitos. Afinal, há o risco de situações desagradáveis. Mas aqui é fundamental entrar o papel dos gestores para evitar que o clima tenso se propague e afete todo o ambiente de trabalho.

3. Meritocracia e equilíbrio na equipe

Mais dois tópicos importantes na gestão de times no futebol. A meritocracia é utilizada desde o bom desempenho dos atletas nos treinos para ganhar uma vaga entre os titulares. E se estende para a conquista de vitórias, títulos e prêmios individuais, recebendo em troca bonificações em dinheiro. O que também se aplica nas empresas com a remuneração variável, como comissão para atingir metas, bônus por performance ou participação nos lucros ao atingir os objetivos do negócio.

Também não se pode esquecer do equilíbrio nas equipes, tanto de futebol como das organizações. Isso é necessário até para combinar as experiências de profissionais experientes, com o desenvolvimento de jovens talentos que vão crescer na sua estrutura.

4. Análise de dados

A tecnologia e os dados já são parte inerente à gestão e, inclusive, ao futebol. Hoje em dia, os clubes contam com departamentos especializados e dedicados a analisar os números de desempenho dos atletas. Com as informações, é possível avaliar a performance, observar o que deu certo e o que pode ser melhorado. Para colher esses dados, os jogadores usam nos treinos e nos jogos coletes com GPS.

O aparelho monitora desde sinais biológicos, como o batimento cardíaco e desgaste físico, até as características relacionadas ao esporte, como a velocidade do atleta, a alternância de movimentos, a distância percorrida e qual a área de atuação no campo. Com isso, as informações são analisadas minuciosamente pelo computador e um relatório individual de cada jogador é produzido para a comissão técnica.

Para o treinador, os dados ajudam a prevenir lesões e facilitam a tomada de decisão no campo técnico, sendo usados como base para substituir um jogador entre os titulares, ou até para dispensas e contratações.

Para a sua empresa, os números são ainda mais importantes, claro. Até para saber mais sobre o comportamento dos colaboradores, se estão engajados e como anda a sua produtividade. Por isso, o processo de coleta e análise das informações, como o People Analytics, ajuda na gestão de pessoas e contribui para decisões mais efetivas. Além disso, o seu negócio também pode ter sua estratégia guiada por dados para monitorar o andamento de projetos e os seus resultados, e adotar possíveis mudanças de rumo.

5. Planejamento e estratégia

Aqui um ponto crucial para um time de futebol. O técnico, primeiro, deve implementar a sua filosofia de jogo para, depois, planejar todos os passos dos treinos até as partidas. Com isso, encontrar a melhor formação e encaixar os jogadores nas posições ideais para cumprir suas funções táticas em campo. A situação nas empresas segue essas mesmas lições de liderança no futebol e requer que os gestores adotem as metodologias para, então, definir os processos e organizar o fluxo de trabalho. Ao criar essa estrutura, fica mais fácil construir as estratégias para o seu negócio, como melhorar o atendimento ao cliente, ou aumentar as vendas.

6. Estudar o adversário

Trocando de lado do campo, vamos falar dos adversários. O que também é responsabilidade do treinador. Pois ele precisa acompanhar o desempenho dos seus rivais para saber como enfrentá-los e vencê-los no próximo jogo. Esse exemplo é mais um caso de lições de liderança no futebol e no universo da gestão tem o nome de benchmarking. Assim como no futebol, o método serve para identificar os pontos fortes, fracos e as práticas da concorrência. A partir deste ponto, você pode aprimorar seus produtos ou serviços oferecidos.

7. Custos e negociações

Seja no Brasil ou no exterior, muitos técnicos são encarregados de gerenciar as compras e gastos dos clubes com jogadores. Assim, eles negociam as contratações, os valores pagos a outros times pela aquisição e os salários acordados com os atletas. Por outro lado, também administram a venda e o empréstimo de jogadores do time. Tudo isso tendo que equilibrar as contas, acertar o balanço financeiro e ficar no azul.

Essa função do técnico de futebol nada mais é do que uma das atribuições de gestores financeiros. Assim como os treinadores, esses especialistas precisam fazer a análise do fluxo de caixa para saber se há os recursos necessários para pagar as contas e manter a saúde da sua empresa.

8. Tipos de liderança

Começamos o nosso texto citando os tipos de técnicos e voltamos a eles agora. Até porque, aqui mais uma vez as lições de liderança no futebol se estendem para além dos gramados. Já que entre os gestores de empresas, também existe uma série de estilos: líder transformador, líder coach, liderança liberal, liderança corporativa, líder democrático, entre outros. E vale a pena conhecer cada um deles para conseguir desenvolver a liderança mais apropriada para o seu negócio.

 

Exemplos do campo para a sua empresa

Além dos paralelos com a gestão, fizemos uma seleção de oito personagens históricos e suas lições de liderança no futebol. Entre os melhores jogadores de todos os tempos e grandes treinadores vitoriosos, confira seus ensinamentos:

1. Johan Cruyff

Um dos maiores nomes da história, liderou a Holanda ao vice-campeonato na Copa de 1974. Foi protagonista do Ajax em três títulos da Liga dos Campeões. Como técnico, conquistou outra Liga dos Campeões pelo Barcelona. Deixou um legado esportivo imenso com seu estilo de jogo ofensivo e de toque de bola, e é um exemplo de lições de liderança no futebol.

  • Foco na simplicidade: “Jogar futebol é muito simples, mas jogar futebol simples é a coisa mais difícil que existe.”
  • Minimizar erros: “Futebol é um jogo de erros. Aquele que fizer menos erros, vence.”
  • Estratégia: “Existem algumas pessoas que podem ter uma técnica melhor que a minha, mas o principal é a tática.”

2. Franz Beckenbauer

Considerado um dos melhores de todos os tempos, foi bicampeão mundial pela Alemanha, como jogador e capitão em 1974 e como técnico em 1990. Apelidado de “Kaiser” pelo seu estilo elegante de jogo, também acumulou conquistas com o Bayern de Munique e se tornou um símbolo do esporte.

  • Comunicação com a equipe: “Nunca tive medo de dar longos discursos aos jogadores. Era importante que eles tivessem todas as informações.”
  • Conquistar os objetivos: “O forte não vence, o que vence é forte.”

3. Alfredo Di Stéfano

Lendário jogador do Real Madrid, ganhou cinco títulos de Liga dos Campeões e oito campeonatos espanhóis entre os anos 1950 e 1960. Como técnico, foi campeão argentino com o Boca Juniors. Depois de aposentado, tornou-se presidente honorário do Real Madrid e contribuiu com lições de liderança no futebol.

  • Sucesso: “O fracasso é uma parte necessária do sucesso.”
  • Evolução contínua: “Devemos sempre nos esforçar para melhorar, pouco a pouco.”

4. Sócrates

Um dos grandes ídolos do futebol brasileiro e do Corinthians, também se notabilizou por sua militância política ao liderar o movimento pela democracia no futebol. Foi eleito pelo jornal britânico The Guardian como um dos seis atletas mais inteligentes da história.

  • Potencial criativo: “Ganhar não é o mais importante. O futebol é uma arte e deveria mostrar criatividade.”
  • Poder de liderança: “Se as pessoas não podem dizer algumas coisas, então eu direi isso por elas.”

5. Telê Santana

Adepto do futebol bonito, foi o técnico da geração mais talentosa do futebol brasileiro nas Copas de 1982 e 1986. Apesar das eliminações e do insucesso, deu a volta por cima e se consagrou ao comandar o São Paulo nos títulos da Libertadores e do Mundial em 1992 e 1993. Um de seus métodos de treinamento era usar repetições ​​de fundamentos para melhorar o desempenho.

  • Alta performance: “Atingir a perfeição é impossível. Mas se aproximar cada vez mais dela, não.”

6. Pep Guardiola

Meio-campista técnico e inteligente, foi um dos destaques da sua geração na Espanha e acumulou conquistas com o Barcelona. Ainda mais vitorioso como técnico, voltou a empilhar títulos no time, depois no Bayern de Munique e no Manchester City. Com sua metodologia de compreender e praticar o futebol, revolucionou o esporte à sua maneira. Em sua biografia Guardiola Confidencial, fica claro o seu jeito meticuloso e suas ideias, assim como suas lições de liderança no futebol.

  • Treino e aperfeiçoamento: “Se treinar mal, você jogará mal. Se você trabalhar forte no treinamento, você jogará da mesma maneira.”
  • Determinação: “Eu vou perdoar se os jogadores não conseguirem acertar, mas não se eles não tentarem.”
  • Coragem: “Eu não estou lidando com jogadores, estou lidando com pessoas. Eles têm medos e se preocupam em falhar.”

7. José Mourinho

De personalidade carismática, porém polêmica, se tornou reconhecido por seu conhecimento tático. Mas também por seu jeito pragmático de armar os seus times. Apesar disso, conquistou troféus por onde passou: campeão da Liga dos Campeões com Porto e Inter de Milão, campeão espanhol com Real Madrid, tricampeão inglês com o Chelsea, entre outros. Sua visão traz claras associações para gestores e líderes.

  • Adaptação: “Minha liderança não tem um estilo. Eu tento ter uma liderança ajustada à realidade.”
  • Valorizar a equipe: “Uma das coisas que você deve lembrar como líder é que seu pessoal é mais importante que você.”
  • Traçar metas: “A partir de agora, cada treino, cada jogo, cada minuto de sua vida deve centrar-se no objetivo de ser um campeão.”

8. Alex Ferguson

Ex-jogador, deixou sua marca mesmo com as orientações no banco de reservas. Ficou 26 anos como técnico do Manchester United e conquistou 13 títulos ingleses e duas Ligas do Campeões. Ganhou uma estátua de bronze em frente ao estádio do clube e foi condecorado como “Sir” pela Rainha da Inglaterra, Elizabeth II. Publicou seu livro Liderança e, como lições de liderança no futebol, apontou disciplina, trabalho de equipe e motivação como as habilidades que mais valoriza.

  • Lidar com os insucessos: “A maneira pela qual um líder reage à derrota é uma parte essencial do que faz um vencedor.”
  • Gestão de pessoas: “Você não pode aspirar a ser amado, porque isso não vai acontecer. Nem queira que as pessoas tenham medo de você. Faça com que elas respeitem, confiem e vejam você como justo.”
  • Coletivo: “O trabalho de uma equipe deve sempre envolver um grande jogador, mas o grande jogador deve sempre trabalhar.”

 

Fonte: Runrun.it Blog

Liderança para Resultados

Novo Programa de Desenvolvimento
Sobre o autor

Empresa voltada para o desenvolvimento e a gestão de pessoas. Nosso objetivo é prestar um serviço personalizado e sempre focado nas características, valores, missão e visão estratégica de cada cliente.

Deixe um Comentário

Programas de Desenvolvimento

Quem Somos

A GPDH – Treinamento e Desenvolvimento é uma empresa voltada para o desenvolvimento e a gestão de pessoas. Nosso objetivo é prestar um serviço personalizado e sempre focado nas características, valores, missão e visão estratégica de cada cliente.