fbpx
(31) 3295-3425 (31) 99449-7090

A pandemia da COVID-19 tem trazido incontáveis mudanças em todos os segmentos da sociedade. As relações sociais têm passado por fortes adaptações onde o calor dos abraços, a energia de um aperto de mão, o carinho de um beijo foi substituído pelos contatos digitais possibilitados pelo Zoom, Teams, Google meet, Skype etc.

Questões que vinham lentamente sendo pensadas e adiadas, a exemplo home do office, se tornaram súbita e obrigatoriamente uma realidade na qual praticamente todos os trabalhadores de funções não operacionais estão trabalhando à distância, em suas residências.

Mas, como a experiência do home office tem sido vivenciada e avaliada pelas pessoas envolvidas?

A Society for Human Resource Management (SHRM) relata em seu site, uma pesquisa recente feita pela empresa global Robert Half. Essa pesquisa sugere que as pessoas estão felizes com o home office. Quase 80% dos 1.000 funcionários de escritório pesquisados ​​disseram que seu trabalho permite dividir seu dia em blocos de negócios e tempo pessoal – conhecido como “trabalho em janela” – enquanto trabalham em casa. Os funcionários podem programar dias de trabalho fluidos para cuidar das crianças, estudar, participar de reuniões on-line, recados pessoais e tempo focado no trabalho. Desses entrevistados, 73% relataram um aumento de produtividade.

A pesquisa mostrou que entre aqueles que têm a opção de seguir um cronograma flexível:

  • Existe uma porcentagem maior de entrevistados com crianças (78%) do que aqueles sem (66%) disseram ser mais produtivos.
  • Quase um número igual de homens (75%) e mulheres (71%) disse que faz mais quando integra atividades pessoais e profissionais ao longo do dia.
  • Trabalhadores com mais de 55 anos tendem a preferir um horário tradicional (39 por cento), em comparação com trabalhadores com idades entre 41 e 54 (32 por cento) e idades entre 25 e 40 (22 por cento).

Os entrevistados insatisfeitos com o home office  podem ser desafiados pela dificuldade de equilibrar trabalho e tempo pessoal, disse Mark Bolino, professor de administração da Price College of Business da Universidade de Oklahoma, em Oklahoma City. “A maioria das pessoas gosta de ter discrição e autonomia em seu trabalho, mas eu me preocupo com a tendência ao excesso de trabalho, que pode invadir o tempo que poderia ser gasto em atividades familiares ou de lazer”, afirmou. “O arranjo de trabalho remoto às vezes pode ser uma armadilha, porque as atividades de trabalho tendem a ser recompensadas mais imediatamente do que os investimentos em família e lazer, reforçando o desejo de continuar trabalhando”.

Dicas para gerenciar trabalhadores remotos

Paul McDonald, diretor executivo sênior da Robert Half, disse que, embora os benefícios de horários flexíveis sejam claros, os funcionários “devem fazer um esforço conjunto para obterem sucesso. A comunicação é essencial para garantir que todos estejam alinhados às prioridades, que os projetos continuem no caminho certo e que os colegas sintam igualmente motivados e responsáveis por atingir as metas de negócios “.

Ele acrescentou que a cobertura da equipe deve ser coordenada e os horários individuais compartilhados. “Verifique se seus colegas sabem quando você está disponível para reunir e colaborar – e quando você estará menos acessível ou offline”, disse ele.

Cochran disse que gerentes e trabalhadores devem ter clareza sobre as expectativas. “Determine se há horas essenciais necessárias para a colaboração ou para o trabalho em geral”, disse ela. “Apoie-se em tecnologias como o Slack para que as pessoas saibam quando você está longe da sua mesa ou não pode responder. Um dos fundamentos do trabalho remoto bem sucedido é a comunicação proativa e a transparência nos dois sentidos.”

Bolino recomenda que os gerentes estejam atentos às pessoas que trabalham demais em casa. “Os gerentes devem pedir que seus funcionários estejam atentos a manter os limites entre o trabalho e a vida doméstica. Em algum momento, as pessoas vão se esgotar e isso não é saudável ou sustentável“, disse ele. “Por outro lado, também há sempre o risco de trabalho insuficiente. É necessário garantir a responsabilidade de que o trabalho esteja realmente sendo realizado. Para algumas pessoas, estar em casa é uma distração – ou há muita coisa acontecendo em casa ou eles simplesmente têm mais dificuldade para focar. ”   O treinamento em produtividade e gerenciamento de tempo pode ajudar, disse Cochran. “O trabalho remoto requer autodisciplina e autodireção. Quando alguém é novato em trabalhar dessa maneira, especialmente quando não é esperado ou não é por opção, ajudá-lo a criar uma estrutura clara em sua programação pode ser eficaz.

Receba mais Informações


Sobre o autor

Empresa voltada para o desenvolvimento e a gestão de pessoas. Nosso objetivo é prestar um serviço personalizado e sempre focado nas características, valores, missão e visão estratégica de cada cliente.

Posts Relacionados

Deixe um Comentário